BEDA 22: Religião

Oi meus amores, tudo bem? Estou enrolada com a faculdade, porque comecei um super trabalho de pesquisa estou dedicando meu tempo para traduzir um livro, mas vim falar hoje com vocês sobre religião. É uma assunto polêmico, mas não quero isso aqui no blog, então, quem quiser dar sua opinião fique a vontade, mas sem ofensas, e por favor leiam até o fim. Aqui vou contar para vocês minha história com a religião, que desde cedo não me dava bem.


Bom, fui criada na igreja Católica - sou batizada e tenho primeira comunhão -  mas sempre fiz as coisas na igreja por obrigação da minha mãe que sempre falava sobre ser "abençoada por Deus", o que não me levou a lugar nenhum até aqui. A família inteira do meu pai sempre foram muito católicos, tanto que minha avó dava um gole de água benta para todos da família todo dia de manhã e a tarde, porque ela ficava vendo aquelas missas de igreja em canal religioso (bom ressaltar isso). Mas o que era mais assim é que como eu era criança, nunca entendi essas coisas de igreja, céu, inferno e pecado, então eu vivia.... E isso até minha pré adolescência.

Quando eu vim para Uberlândia eu descobri muita coisas, e muitos focinhos de porco que não eram tomadas também (risos), mas foi com 15 anos, conversando com um amigo - virtual - que cheguei a conclusão que Deus não existia, e se existisse, não se importava com a gente. Ele argumentava sobre a fome, a guerra, como aquilo acabava com alguém psicologicamente.... e acabei começando a concordar, mas ainda sim, não sabia muito sobre religião e nem sobre Deus, logo, comecei a procurar. Foi aí que saí em busca de uma igreja que poderia me explicar algo. Fui em tudo: de candomblé até igreja batista, conheci sobre ocultismo e até satanismo - mas se me perguntarem hoje não sei explicar rsrs - e cheguei a conclusão de "é, sou ateu. Nada explica Deus, então Deus logicamente não existe" E isso foi até meus 18 anos, que foi quando estava no segundo período da faculdade.


Estando na faculdade de filosofia, como disse nesse vídeo aqui, já sabem todos os preconceitos, tipo"todo mundo é ateu", igual ao "nossa, todo filosofo fuma maconha". E numa roda de amigos começaram a debater sobre Deus, teologia meeesmo, e estavam ateus X cristãos e fiquei pensando em alguns argumentos dos meus colegas que eram religiosos e pensei "cara, esse sentimento que eles dizem, nunca senti.... Não é possível que exista" me referindo ao sentimento de ter Deus em você. Então comecei a pesquisar, procurar, pesquisar, frequentar algumas igrejas (foram três, duas voltadas ao espiritismo e uma protestante) e me descobri na Umbanda, sim, no terreiro (e quem for preconceituoso eu denuncio, só pra ficar claro) onde um dos entes que estavam ali me disse para procurar dentro de mim, como uma reflexão e tentar achar o sentimento bom, independente que não me fizesse acreditar, mas sim uma reflexão interna (onde foi o começo do meu esgotamento mental). Chegando em casa eu banhei, mantive a calma e dormi, simplesmente (isso era de noite já).

No outro dia, eu acordei outra pessoa: alegre, sorrindo, de bem com a vida, e foi um dos melhores dias da minha vida. Fui para a faculdade, e quando cheguei em casa decidi ir no centro (onde o dono estava batendo búzios) e quando ele terminou alguns pedidos eu falei o que tinha ocorrido. Ele me disse que o motivo da leveza era que eu estava limpa, "pura"... digamos. Eu perguntei o quem fez isso e ele disse com essas palavras "o que você quiser acreditar. Sua reflexão profunda, que deu seu auto conhecimento, Deus, sua protetora.... O que quiser, minha filha. No fim, as coisas sempre se ligam à um", e a partir daí voltei a ter fé. E quase todas as noites (quando não estou com muito sono) eu rezo, agradeço, peço proteção pra mim e pra minha família. E acreditem quando digo isso: dentro de mim mudou completamente. E sobre a filosofia (que se liga muito com o o racionalismo né)? Bom, ainda tenho meu pensamento lógico, minha cabeça super pé no chão, mas eu sei quem olha por mim, e eu sinto sua bondade no meu coração. 


Bom, meninas, é desse jeito que termino esse post para vocês. Espero que tenham gostado e que não comparem a um testemunho, porque não é rsrs... É só eu falando num blog de estilo de vida okay? Até a próxima amores!

Um beijo!